No Dia Mundial do Fusca, expedição brasileira Fuscamérica está na Copa da Rússia
22/06/2018 04:21 em Curiosidades

 

O Dia Mundial do Fusca é festejado em dia 22 de junho, pois foi neste dia, no ano de 1934 que foi assinado o contrato entre Ferdinand Porsche e a Associação Nacional da Indústria Automobilística Alemã, dando início ao desenvolvimento do Fusca.

A data comemorativa foi idealizada por Alexander Gromow (autor do livro “Eu Amo Fusca” e colunista do Portal Maxicar) e apresentada durante o 5º Encontro Internacional de VW Antigos de Bad Camberg, na Alemanha, em 1995.

Desde então, o Dia Mundial do Fusca é comemorado por fãs do Volkswagen em todo o mundo — com toda força aqui no Brasil — através da realização de passeios e encontros.

 

 

 

Expedição Fuscamérica está na Copa do Mundo na Rússia

 

Depois de percorre sete países da América do Sul, o Segundinho, um Fusca ano 1968, cruzou o oceano e desembarcar na Rússia, país-sede da Copa do Mundo de futebol.

De acordo com o fotógrafo gaúcho Nauro Júnior, idealizador da Expedição Fuscamérica, a ideia é rodar cerca de 20 mil km entre os meses de junho e julho, acompanhando os bastidores dos jogos.

"Queremos mostrar o lado B da Copa, os torcedores de todos os cantos, a mistura de idiomas, e os bastidores que as transmissões internacionais não mostram", diz Nauro.

O embarque do Fusca se deu no Porto de Rio Grande, em abril, e desembarque na Alemanha, de onde foi enviado por via terrestre até a cidade de Moscou, dias antes do início da Copa.

Na maior de todas as aventuras da Fuscamérica, Nauro tem a companhia do copiloto brasileiro Caio Passos, que hoje vive na cidade de Porto, em Portugal.

A Rússia é o país com maior área do planeta, cobrindo mais de um nono da área terrestre. Mas nem isso impediu que o projeto começasse a ser delineado há dois anos. "Foram muitas reuniões, conversas com amigos, empresas, contatos com canais de televisão, até acharmos o modelo ideal de viagem", explica Nauro.

Depois de percorrer mais de 45 mil quilômetros em incursões pela América do Sul, desde 2012, ele encara o atual desafio com serenidade. "Fusca e futebol tem a mesma essência, são do povo, e isso faz com que a nossa aproximação com as pessoas seja facilitada", conta.

Para bancar parte da aventura, Nauro lançou um financiamento coletivo no site Kickante com objetivo de arrecadar R$ 40 mil. “Na verdade, este valor é a metade do total necessário para a viagem, o restante será pleiteado junto a empresas e parceiros", diz o fotógrafo.

 

 

A chegada a São Petersburgo se deu pouco antes do início da Copa. Após a final do campeonato em 15 de julho, seguem pela Europa em uma viagem familiar que termina no porto de Santander, na Espanha.

 

 

 

Expedição Fuscamérica: Uma viagem sem fim com o Segundinho

 

Amante de Fusca desde sempre, o repórter fotográfico Nauro Júnior deu início, em 2012, à expedição Fuscamérica. Ano a ano, ele se junta a colegas e percorre parte do mundo a bordo do carro fabricado em 1968. O mais icônico carro do país desde que por aqui chegou, em 1950, importado da Alemanha, gravou seu nome na história como o modelo mais vendido no mundo, com mais de 21 milhões de unidades, sem contar as novas versões.

 

 

 

Não é à toa que o Fusca mantém uma legião de admiradores que, muitas vezes, o transformam em protagonista de estilo de vida. É assim com o repórter fotográfico Nauro Júnior, de Pelotas, que viaja pela América do Sul a bordo de um modelo 1968, carinhosamente chamado de Segundinho. Antes dele, um modelo 1972, o Filó, iniciou a saga da Expedição Fuscamérica, por vários países latino-americanos, além da Antártica.

 

Pelo caminho, José Mujica

 

 

A paixão pelo Fusca une seus seguidores. Não poderia deixar de ser diferente nas viagens de Nauro. Paisagens e culturas vão se diferenciando, mas a solidariedade e calor humano, conta ele, são recorrentes. Na mais recente aventura, Nauro e Daniel puderam compartilhar momentos com os irmãos e músicos uruguaios Daniel e Jorge Drexler. Jorge recebeu o Oscar de melhor canção em 2005, como autor de Al Outro Lado del Río, tema do filme Diários de Motocicleta. Tiveram, também, a oportunidade de entrevistar novamente o ex-presidente uruguaio Pepe Mujica, um apaixonado por Fusca, e de cruzar pelo Rali Dakar.

 

Estrela não solitária

 

A mais recente viagem contou com um reboque, feito a partir de um Fusca que a filha Sofia, 11 anos, ganhou de presente de um amigo da família, há dois anos. 

– Ele estava estragando no pátio e um dia a convenci de que se ela me desse este Fusca, quando ela fizesse 18 anos eu darei um dos meus a ela – revela Nauro.

– Foi sensacional como as pessoas se encantavam. Não era mais um Fusca viajando. Era um Fusca e meio. Muita gente nos fotografava pelas cidades e começavam a nos marcar na página do Facebook. Há lugares que passamos e nem sabíamos o nome. Com a interatividade da comunidade, ficávamos sabendo – lembra ainda.  

 

 

Ao que tudo indica, Nauro já tem uma herdeira de sua paixão. A filha adora o Fusca, mas não apenas como um carro. Para ela, o veículo é sinônimo de liberdade, emoção, simplicidade e um meio de viajar pelo mundo. A Sofia sabe das coisas.

 

 

Leia reportagem completa sobre a Expedição Fuscamérica:

 

https://gauchazh.clicrbs.com.br/comportamento/carros/noticia/2017/04/uma-viagem-sem-fim-com-o-segundinho-9766666.html

COMENTÁRIOS